Me permiti estar no caos, mas hoje eu quero me reerguer

   Escrevo esse texto quase no fim de uma semana corrida, em que senti o desânimo me assolar e me fazer procrastinar e produzir em quantidades equivalentes. Quase não escrevo esse texto por cansaço e preguiça, mas eu amo isso, amo escrever. Pra você ver, comecei a não querer fazer nem o que eu amo fazer. 

   "A obrigação de produzir, aliena a paixão de criar", acho que senti realmente o peso dessa frase nesses últimos tempos. Sempre critiquei uma vida mecânica, mas estava vivendo isso e eu nem me dei conta. Parei de ver a beleza das pequenas coisinhas, parei de escutar minhas músicas favoritas e de dançar sob o caos. Eu me permiti estar no caos. Não me culpo por isso, até porque ser forte sempre é uma utopia que nos destrói e nos faz colocar uma máscara, mas hoje quero me reerguer e me sentir viva novamente. 

   Quero colocar minha a minha música do momento no fone e dançar até meu coração disparar, quero brincar com minha prima e reparar em como ela tem crescido tanto, quero dar risada com minha avó sobre as aleatoriedades que ela fala, quero até mesmo implicar com minha mãe sobre ela sempre falar tanto logo de manhã, quero conversar com Deus e sentir meu coração grato por tantas bênçãos sob minha vida (sei que Ele sempre respeita meu tempo e que não me julgou por eu ter sumido por esses dias). 

      Me permiti estar no caos, mas hoje eu quero me reerguer. 



Comentários

Postagens mais visitadas