TOUR PELOS MEUS LIVROS PART. 2


OiOi pessoal, tudo bom?

Para o post de hoje trouxe a segunda parte do tour pelos meus livros, ou seja, serão os livros individuais ou que tem continuação, mas que não pretendo adquirir.

*Os que tiverem resenha, eu irei deixar o link disponibilizado para quem se interessar. 

*Os livros que serão falados foram escolhidos pela enquete no Instagram (@umpoucodecadamundoblog). Como são 17 livros iria ficar muito extenso, então por isso optei por fazer dessa maneira! 




Sempre faço tudo errado quando estou feliz


"Ansiedade. Paranoias. Medos. Frustrações. Amor. Sonhos. Desilusões. Expectativas. Aquela vontade louca de desistir de tudo. Recomeçar. Desistir de novo. Sentir-se inteiro. Vazio. Transbordar. Se perder. Pode parecer, mas você não está sozinho... Em Sempre faço tudo errado quando estou feliz, Raquel Segal, criadora do Aquele Eita, fala de emoções reais, destas que a gente só conta para o travesseiro. É impossível não se impactar com seu traço revelador e, ao mesmo tempo, transformador." 



Casa das estrelas


"Ao longo dos anos, Javier Naranjo, professor e poeta colombiano, coletou definições que seus alunos do curso primário davam a palavras, objetos, ideias, pessoas, lugares e sentimentos. Os pequenos verbetes, reunidos no grande sucesso Casa das estrelas, oscilam entre o poético, o lúdico, o melancólico e o revelador. poesia > É como estar cantando. amor > É quando batem em você e dói muito. guerra > Gente que se mata por um pedaço de terra ou de paz. adulto > Pessoa que, em toda coisa que fala, vem primeiro ela. eternidade > É esperar uma pessoa. tristeza >Tempo. tempo > É um relógio que move e move uma mão até que se cansa." 

*Ainda não comecei a ler esse, mas foi super recomendado pelo moço da loja e realmente parece ser incrível!




No meio do caminho tinha um amor


"Às vezes, a gente insiste em viver um relacionamento que já chegou ao final faz tempo. Tentamos resistir, fazer de tudo para durar mais, lutando para trazer de volta os momentos mágicos do início. Mas, quando o amor acaba, no lugar do conforto e do carinho que existiam só restam feridas que vão doer por um bom tempo e deixar cicatrizes que não desaparecerão. Porque o amor nem sempre é para sempre. Com o fim vem a tristeza, a saudade, a mágoa, o desespero e a vontade de nunca mais sentir aquela dor. Aí fechamos as portas ao perigo de sermos machucados outra vez, mas também à chance de sermos amados de novo. Um belo dia, quando as lágrimas já secaram e nos esquecemos do desconforto, com muito cuidado abrimos uma fresta só para ver a vida lá fora. E, assim como um raio de sol que entra por qualquer brecha, de repente uma vontade de recomeçar nos invade e tudo volta a fazer sentido. E, sem nem saber como, no meio do caminho avistamos novamente o amor – e a certeza de um novo começo!"



Como eu era antes de você


"Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta. Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro."


*Não pretendo adquirir os próximos porque pra mim a história já se encerrou ali


Os quatro amores


"Como expressar de maneira profunda um sentimento comumente tratado de forma tão rasa? Para o célebre escritor C.S. Lewis, o amor pode ser comunicado de quatro maneiras: Afeição, a forma mais básica de amar; Amizade, considerada a mais rara; Eros, o amor apaixonado; e Caridade, o maior e menos egoísta deles. Em “Os quatro amores”, um de seus livros mais influentes, agora enriquecido por nova tradução, Lewis contempla a essência do amor e avalia como cada tipo se ajusta aos demais. Com a maestria que o tornou um dos autores mais importantes do século XX, ele desafia e incorpora definições clássicas do amor de uma forma que continua atual e relevante. Como lembra o autor, foi por amor que Deus fez existir criaturas inteiramente supérfluas, somente a fim de poder amá-las e aperfeiçoá-las." 

*Não concordo com tudo o que o autor retrata e é um livro bem denso, então se você gosta de livros assim, talvez você goste, mas como li em uma época que estava muito cansada eu prolonguei muito a leitura


As crônicas de Nárnia- Volume Único


"Viagens ao fim do mundo, criaturas fantásticas e batalhas épicas entre o bem e o mal - o que mais um leitor poderia querer de um livro? O livro que tem tudo isso é ''O leão, a feiticeira e o guarda-roupa'', escrito em 1949 por Clive Staples Lewis. Mas Lewis não parou por aí. Seis outros livros vieram depois e, juntos, ficaram conhecidos como ''As crônicas de Nárnia''. Nos últimos cinqüenta anos, ''As crônicas de Nárnia'' transcenderam o gênero da fantasia para se tornar parte do cânone da literatura clássica. Cada um dos sete livros é uma obra-prima, atraindo o leitor para um mundo em que a magia encontra a realidade, e o resultado é um mundo ficcional que tem fascinado gerações. Esta edição apresenta todas as sete crônicas integralmente, num único volume. Os livros são apresentados de acordo com a ordem de preferência de Lewis, cada capítulo com uma ilustração do artista original, Pauline Baynes. Enganosamente simples e direta, ''As crônicas de Nárnia'' continuam cativando os leitores com aventuras, personagens e fatos que falam a pessoas de todas as idades."

*Ainda estou lendo, mas já AMO 


Teorias da comunicação, hoje


"A maioria das teorias da comunicação já caiu na obsolescência e no ostracismo. Algumas poucas ainda guardam certa atualidade. Mas o momento comunicacional não para, está sempre se alterando, exigindo novos posicionamentos, novos equacionamentos teóricos, novas visões. É disso que trata este livro. Ele pensa e propõe uma nova forma de se estudar e pesquisar a comunicação. Ele considera que investigar a comunicação não é focar no chamado “emissor”. Afinal, isso é objeto de sociólogos, teóricos da política ou da economia. Tampouco é voltar-se à mensagem ou ao signo, interpretando-o, analisando-o, decifrando-o. A validade desse procedimento é hoje seriamente questionada. Há todo um campo a ser explorado, que é o do fenômeno ou acontecimento comunicacional enquanto tal. Saber como um filme nos impacta, uma performance, uma peça teatral, uma reportagem jornalística, a leitura de um livro, a participação num debate, num diálogo. Esse talvez seja o genuíno estudo da comunicação. Aquilo que assinala sua maioridade para apresentar-se como ciência autônoma."

*Também ainda estou lendo, mas quem ama essa área da comunicação pode adquirir sem medo, pois ele dá um conhecimento gigante sobre diversos assuntos!




Espero que vocês tenham gostado! Curtam a página do Facebook: Um Pouco De Cada Mundo, e sigam no Instagram: @umpoucodecadamundoblog

Comentários

Postagens mais visitadas